quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Viagem ao centro... do pensamento...

Hoje fiz uma viagem, uma viagem pela minha pessoa. Uma viagem pela minha cabeça, pelo meu coração, pelo meu eu. Pela minha moral, pela minha ética, pelo meu ser.

A minha cabeça mostrou-me que a confusão é criada por cada um, que vê o que quer ver, que ouve o que quer ouvir e que diz o que quer dizer. "É preciso ver as coisas como elas são. É preciso ver, ver." E para ouvir é necessário saber escutar, e não tentar adivinhar o que algo significa. Todos temos a nossa veia de realizador de cinema, mas a vida já está cheia de suspense, não precisamos de o criar onde o não há. Quando dizemos algo, soltamos para fora, dizemos o que queremos embora muitas vezes não se queira dizer o que se disse...

Por seu lado, o meu coração mostrou que o sentimento não existe porque se quer, o sentimento desabrocha. É impossível não sentirmos algo relativamente a qualquer coisa. É verdade! A indiferença (que apesar de se sentir é exactamente por não se sentir) já não existe, quando alguém diz "é-me indiferente" é porque nunca pensou/ou lhe aconteceu o assunto. Não conseguimos, aliás, não devemos conseguir ser indiferentes ao que nos rodeia. A indiferença seca-nos, mata-nos aos poucos...

O meu eu sorriu-me...

Fiz uma viagem, uma viagem enorme...
E quanto mais viajo, mais me apercebo...
A beleza está nas coisas mais simples...
A amizade onde menos se procura...
O amor habita numa concha...
A alegria está em cada um...
A verdade está em nós e
o futuro... "Só a Deus pertence..."

4 comentários:

Marta ' Ferreira disse...

Podes crer que é isso tudo o que tu disseste, nem mais nem menos :D
Adorei o teu texto :D

Anorinha disse...

Obrigada! Também ando a ler os teus.. E gosto! :D

Marta ' Ferreira disse...

Obrigada ;D
ah agora ja percebi a cena do velório xD
Eu realmente adorava entrar para a TFIPCA! Mas não tenho tempo nenhum, mesmo assim nao tiro a hipótese de entrar para o ano ou assim! :D

Marta ' Ferreira disse...

Tens toda a razão naquilo que dizes :)