domingo, 27 de maio de 2012

quarta-feira, 23 de maio de 2012

O Sol brilhou sob o meu rosto



_____

O Sol brilhou sob o meu rosto
Naquela tarde de verão, 
Iluminou o meu desgosto
Que me ardia no coração.

O Sol brilhou sob o meu rosto
Descobrindo a minha aflição.
Iluminou o meu desgosto,
Mostrou a minha desilusão.

O Sol brilhou sob o meu rosto
Enquanto me davas a mão.
Iluminou o meu desgosto
Ao conhecer a desilusão.



segunda-feira, 21 de maio de 2012

Se vale a pena...

Se vale a pena pensar no que significa?
Não creio.

Se vale a pena pensar se voltará a acontecer?
Não acredito.

Se vale a pena pensar que aconteceu?
Para quê?

Se valeu a pena ter acontecido?
Oh, sim! Claro...


quinta-feira, 17 de maio de 2012

Vício de ti...




Amigos como sempre dúvidas daqui pra frente
sobre os seus propósitos
é difícil não questionar.
Canto do telhado para toda a gente ouvir
os gatos dos vizinhos gostam de assistir.

Enquanto a musica não me acalmar
não vou descer, não vou enfrentar
o meu vício de ti não vai passar
e não percebo porque não esmorece
ao que parece o meu corpo não se esquece.

Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti
Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti

Levei-te à cidade, mostrei-te ruas e pontes
sem receios atrai-te as minhas fontes
por inspiração passamos onde mais ninguém passou
ali algures algo entre nós se revelou.

Enquanto a música não me acalmar
não vou descer, não vou enfrentar
o meu vício de ti não vai passar
e não percebo porque não esmorece
será melhor deixar andar?

Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti
Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti
Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti
Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti

Eu canto a sós pra cidade ouvir
e entre nós há promessas por cumprir
mas sei que nada vai mudar
o meu vício de ti não vai passar, não vai passar...