sexta-feira, 15 de julho de 2011

A complexidade da amizade


É fácil dizer a palavra amigo ou amiga. Conhecemos uma pessoa no café e depois de dois dedos de treta temos tanto em comum que ficamos logo amigos. Mas com o passar do tempo e com tantos conhecimentos travados eis que nos apetece sair com um amigo ou amiga: de quem nos lembramos? Certamente não será daquela pessoa que tomou um café connosco, de quem já nem nos lembramos do nome... 
Dizem que a verdadeira amizade supera tudo, que pode passar todo o tempo do mundo sem estarmos com os amigos verdadeiros e quando precisarmos eles estão lá.
Mas o que é isso de amizade verdadeira? 
O que é isso de precisarmos de algo e estar alguém ali para nós?

Imagem retirada da Internet
A verdadeira amizade não se quantifica nem, muito menos, se qualifica. O verdadeiro amigo não espera nada em troca, nem precisa...
Aquele amigo que termina as nossas frases, que nos diz o que não queremos ouvir, que não 
precisa de cerimónias. Esse é o verdadeiro amigo. E nem espera sê-lo, não se preocupa em ocupar um lugar no nosso coração porque está sempre lá. 
Aquele amigo que caminha connosco na mesma página. Que fica feliz pelo nosso sucesso. Que se preocupa com a nossa tristeza.
É fácil dizer a palavra amigo. Mas não é fácil encontrar aquele amigo.
Podia alongar-me. Afinal, esta complexidade é tão complexa que cada um entende a amizade de maneira diferente. E eu entendo-a assim, porque conheci e sei que vou conhecer pessoas do mais variado que há. Mas também sei quem são os meus verdadeiros amigos...

1 comentário:

Corina de Oliveira disse...

Gostei muito :) a amizade é isso mesmo...